Preciso contar essa história surreal

Sobre a importância de olhar para fora (e para dentro) mais e para a telinha menos.

Voltei há algumas semanas de uma viagem para Washington DC (post com dicas vindo em breve!) e preciso contar essa experiência surreal.

Fui na Galeria Nacional de Arte (fantástica) e vi, em uma das salas, várias pessoas tirando fotos de um quadro. Fiquei curiosa e fui lá também descobrir que quadro era esse. Acabou que era "apenas" a única pintura de Leonardo da Vinci nas Américas, a Ginevra de' Benci. Gente do céu, que pintura MARAVILHOSA. A técnica de esfumo é de fazer qualquer blogueira de maquiagem chorar. Mas não, essa não é a parte surreal da história.

No tempo que fiquei na frente do quadro (deve ter sido no mínimo uns cinco minutos), namorando a pintura, observei um padrão surreal à minha volta: Pessoas começaram a formar uma fila, que eu achei que era pra ver o quadro, mas que na verdade era pra tirar foto! Elas ficavam na fila e quando chegava a vez delas, elas apontavam o celular pro quadro, click, apontavam o celular pra legenda do quadro, click, botavam o celular no bolso e iam embora. Ninguém estava OLHANDO para o quadro, apenas tirando fotos. Te juro. A única obra de Leonardo da Vinci nas Américas e ninguém estava tentando apreciar a pintura, queriam apenas tirar uma foto pra falar que estiveram lá. Alguém me diz que eu não sou louca de achar esse comportamento surreal?

Gente do céu, quando é que tirar foto pra provar que estamos num lugar se tornou mais importante do que realmente estar lá? Medo das vezes que eu também devo ter sido o tipo de pessoa que só estava em algum lugar pelas fotos.

Alguém para o mundo porque eu quero descer.

Nenhum comentário

Curtiu? Tem perguntas? Então deixe um comentário!