Desculpe 20 e poucos anos, mas prefiro ser trintona

30 e poucos anos é muito melhor do que 20 e poucos anos

Essa semana completo 31 anos, consolidando de vez a minha fase nos 30 e poucos anos. Como você viram aqui, eu tive minha crise dos 30 anos e compartilhei também 30 lições que aprendi antes dos 30 anos. E gente, posso contar uma coisa? Essa fase é muito boa!!!

Lógico que não existe uma mágica entre os 29 e 30 anos, quando de repente você deixa as neuroses para trás e se torna uma pessoa mais certa de si, bem-sucedida e feliz. A questão é que todo fim de ciclo requer comparações e é impossível não comparar os 20 e poucos com os 30 e poucos.

Hoje, aos 30 e poucos, me sinto muito mais segura de mim. Me sinto confortável na minha própria pele, sei que tipo de maquiagem fica bem em mim e que tipo de livros gosto de ler nas horas vagas. Não tenho a menor vergonha de quem sou: Me sinto livre para confessar que ouço Valesca Popozuda pra me animar na academia e que choro toda vez que assisto a este vídeo da menininha descobrindo que vai passar o aniversário na Disney. Não me importo muito com a opinião alheia, talvez até demais.

Tudo isso porque, para mim, os 20 e poucos foram um tempo de consolidação: Quem eu sou, o que quero fazer, aonde quero chegar. Durante essa fase de descobertas para entender onde é que me encaixo neste mundo, aprovação externa era tão importante! Além disso, experienciei muito o que os americanos chamam de "growing pains": A dor do crescimento. Antes de cada descoberta e conquista, houveram frustrações, medos e derrotas. Foi tudo maravilhoso, mas ainda bem que acabou!

Os 30 e poucos ainda trazem frustrações e incertezas, mas fica muito mais fácil de navegar tudo isso com a bagagem dos 20 e poucos anos. Foram tantas tentativas que no final você aprende o que funciona e o que não funciona, como você reage a tudo o que está acontecendo a sua volta e a se aceitar mais. Você aprende que não tem como sempre se encaixar no molde de tudo, e que tudo bem não se encaixar 100%. É isso o que te torna única na vida.

No final, a diferença entre os 20 e poucos e os 30 poucos é apenas uma que apenas o tempo e experiências podem providenciar: Maturidade.

Nenhum comentário

Curtiu? Tem perguntas? Então deixe um comentário!