Livro: Comprometida


Quando li "Comer, Rezar, Amar", eu fiquei em dúvida se queria terminar de ler o livro ou se queria pegar o primeiro avião para a Itália. Gostei tanto do livro que voltei a fazer ioga, tudo para alinhar os meus chacras e fazer meditação. Sim, eu meditei ao som da natureza.

E agora a autora me levou para uma nova aventura.

Depois de um divórcio traumatizante, Elizabeth Gilbert se vê forçada a fazer as pazes com o casamento, tudo para que o namorado Felipe possa viver nos Estados Unidos. E enquanto os papéis são processados para legalizar a entrada de Felipe no país, Elizabeth embarca numa jornada rumo ao casamento. Afinal, por que as pessoas ainda casam? E por que elas deveriam se casar?

O livro traz muita pesquisa sobre a grande instituição do matrimônio, além de entrevistas deliciosas com pessoas que vivem do outro lado do mundo e que você gostaria, de todo o coração, se tornar melhor amiga. E na angústia dela de descobrir se casamento é realmente tudo isso o que falam, não tem como você não se espelhar nos medos e nas alegrias, nas brigas e reconciliações. Afinal, casamento é na alegria e na tristeza.

Recomendo para todos, inclusive os que já estão casados. Mesmo já estando casada há quase 6 anos, acho que o livro me ajudou a analizar como tenho respeitado os limites do meu casamento e a minha individualidade dentro desse baião de dois. Não que você vá encontrar a fórmula perfeita para um casamento feliz—se é que alguém pode prover tal elixir, mas como o trabalho no casamento é contínuo (já te disseram alguma vez que não acaba no "sim"?), sempre tem espaço para melhoras, e os exemplos no livro te ajudam a refletir e fazer exatamente isso: melhorar. Além do mais, todo mundo gosta de uma história de amor de verdade.

"As pessoas acham que a alma gêmea é o encaixe perfeito, e é isso que todo mundo quer. Mas a verdadeira alma gêmea é um espelho, a pessoa que mostra tudo que está prendendo você, a pessoa que chama a sua atenção para você mesmo para que você possa mudar a sua vida. Uma verdadeira alma gêmea é provavelmente a pessoa mais importante que você vai conhecer, porque elas derrubam as suas paredes e te acordam com um tapa. Mas viver com uma alma gêmea para sempre? Não. Dói demais. As almas gêmeas só entram na sua vida para revelar a você uma outra camada de você mesmo, e depois vão embora."

Nenhum comentário

Curtiu? Tem perguntas? Então deixe um comentário!