Featured Slider

Decoração com Papel Contact: Criando Listras, Chevron, Estampas...

Como fazer pra deixar sua casa, especialmente a de aluguel, com a sua cara sem pintar paredes? Como fazer listras perfeitas na parede sem borrão? E como fazer pra personalizar objetos e móveis sem ter que comprar tudo novo ou gastar fortunas com tinta e tecido? Amiga, eu me fiz essas perguntas há três anos, quando me mudei para a minha nova casa (de aluguel). Depois de muito pesquisar, te trago a resposta daquilo que mudou a minha VIDA (dramática?): Papel contact.

Sai muito mais barato que papel de parede ou qualquer outro tipo de revestimento, é fácil de remover (já testei e não deixou cola na parede) e pode ser encontrado em qualquer lugar. Eu sinceramente não sei como as pessoas não compartilham esse tipo de truque com mais frequência. Sério mesmo. Aqui em casa quase não tem cômodo sem papel contact em algum lugar. E te juro que quando eu digo para as pessoas que é papel contact ninguém acredita.

Por isso, sem mais demoras, aqui vão algumas dicas de onde aplicar pra deixar tudo muito lindo, em todos os cantos possíveis e imagináveis. Haha.

Papel contact para criar listras na parede
Eu quero a MORTE quando vejo a galera se matando pra fazer listras na parede com tinta. Galera, joga papel contact nessa lasqueira. Vai ficar retinho. Prometo. Tem rolo de 10 metros do branco e fosco no Mercado Livre por R$40.

Ideias de decoração com papel contact para a casa
Fotos via Home Design Ideas

Foto via Darling Daly Design

Papel contact para criar desenhos e padronagens na parede
Se você é uma pessoa criativa que não quer se limitar a listras verticais ou horizontais, o papel contact é uma boa solução. Se der errado, é só arrancar e começar de novo.

Algumas empresas já vendem o papel recortado em formatos de círculos, quadrados, etc. Eu mesma comprei no AliExpress ele em cinza, cortado em V para fazer chevron na parede do meu quarto. Uma dica: Se quiser usar fitas adesivas, também funciona. Só tome cuidado porque se você usar fitas com uma adesivagem forte e resistente, como fita isolante, vai ficar cola para traz e vai ser difícil de tirar. Então no caso é uma coisa mais permanente ;). 

Ideias de decoração com papel contact para a casa
Tutorial (em inglês) para fazer esses triângulos aqui. Foto via Burkatron.

Ideias de decoração com papel contact para a casa
Foto via Casa Cotidiana

Ideias de decoração com papel contact para a casa
Fotos via Design Sponge e Decoist

Fotos via Project Nursery e Digs Digs

Foto do meu quarto com o contact do AliExpress. Detalhe para a gaveta amarela que originalmente era branca. Adivinha? Papel contact também. Haha. 

Papel contact em móveis e armários
Agora que o mármore está na moda, por que não usar o papel contact estampado na mesa de centro, quadros, etc.? Também dá para dar aquele toque de cor em armários ou transformar algum móvel numa lousa.

Imagens via PoppyTalk e Plateful of Love

Na segunda foto, o papel contact é na verdade o mármore na parede. Imagens via Apartment Therapy

Papel contact no fundo de prateleiras e gavetas
Uso um pouco mais tradicional, mas que proporciona aquela alegria ao abrir uma gaveta e se deparar com um toque de cor.

Fotos via Design Improvised e Porchdotcom

Fotos via A Beautiful Mess e Inspire Bohemia

Decoração da geladeira com papel contact
Papel contact na geladeira? Nada escapa.

Fotos via The Berry e Aunt Peaches



Receita fácil de molho hollandaise (holandês) de liquidificador


Essa receita de molho Hollandaise não só desmistifica a dificuldade da preparação como também fica pronta em menos de 5 minutos.

Eu amo ovos Benedict num grau que se eu pudesse, comeria isso todos os dias—no café da manhã, brunch, almoço, janta e lanchinho. Por isso, há tempos eu tento decodificar o molho Hollandaise, um dos ingredientes principais do ovos Benedict.

O molho Hollandaise faz parte dos cinco molhos base da culinária francesa (os outros são molho Béchamel, de tomate, Espanhol e Velouté) e está no grupo das maioneses, ou seja, é feito à base de algum tipo de óleo e ovos. Ele pode ser chato de preparar e é aquele tipo de molho que, se um dia você se encontrar no MasterChef e souber prepará-lo bem, você ganha  um abraço do Jacquin e vai pra casa com o prêmio. Sério.

Por ele ser meio chatinho de preparar, já experimentei mais receitas do que deveria e nenhuma nunca ficou muito legal. Uma receita tinha ingrediente demais, outra tem que peneirar tudo (por quê??), a outra tem que mexer tanto a manteiga com ovo que você precisa fazer musculação na academia para poder preparar.

Até que ontem eu encontrei essa receita no site da revista Bon Appétit que funcionou tão bem, mas tão bem, que eu PRECISEI compartilhar com vocês. Além dela ser simples e poder ser preparada no liquidificador, a receita também fica pronta em menos de cinco minutos. Te juro! Eu quase chorei de emoção. No site da revista também inclui um vídeo (em inglês) que você pode assistir pra ver como eles preparam esse molho. É lindo.

Eu fiz e servi com alcachofras cozidas, que é uma das melhores combinações (na minha humilde opinião). Além de ovos Benedict, o molho Hollandaise também combina com carne de peixe e frango.

Sem mais, aqui vai a receita:

Essa receita de molho Hollandaise não só desmistifica a dificuldade da preparação como também fica pronta em menos de 5 minutos.
Foto: The Food Charlatan

Molho Hollandaise (Holandês) de Liquidificador
Serve 12 pessoas
Dá para cortar a receita pela metade

Ingredientes:
280g de manteiga cortada em cubos (ou 1 1/4 xíc, margarina não vai funcionar)
2 gemas grandes de ovo
2 colheres de sobremesa de suco de limão
Sal e pimenta do reino para temperar

Encha o liquidificador de água quente e reserve. Derreta a manteiga numa panela, em temperatura média, até ela começar a espumar. Desligue o fogo. Retire a água do liquidificador e seque bem. Bata as gemas de ovo com o suco de limão até misturar bem (não precisa bater muito, é só para misturar mesmo os dois). Com o liquidificador ligado e tampado (só precisa abrir um pouquinho a tampa), vá adicionando a manteiga ainda quente aos poucos, até formar o molho. Descarte os sólidos do leite que ficarem no fundo da panela. Adicione sal e pimenta do reino a gosto. Sirva imediatamente.

Pode derreter a manteiga no microondas? Pode, mas fica mais difícil de ver o ponto que ela começa a espumar, por isso dei preferência para derreter na panela.

Conservação: O molho Hollandaise é super temperamental e deve ser consumido em até quatro horas depois da preparação. Eu sei, que saco. Isso porque o molho tem gemas de ovo cru, que podem estragar, ter bacteria, etc. etc. etc., além da base do molho não ser óleo de canola como uma maionese normal, mas manteiga. O que acontece com a manteiga quando ela esfria? Ela solidifica. O que acontece quando o molho solidifica? Todos os ingredientes separam 😫. Por isso, recomendo fazer o suficiente para a sua receita, ao invés de fazer um monte sabendo que vai sobrar, e preparar tudo pouco antes de servir.

Eu não sabia disso quando preparei e fiz um MONTE, deixando tudo na geladeira de um dia para o outro. Adivinha o que aconteceu? A manteiga obviamente solidificou e o molho virou uma pedra. Tentei derreter gentilmente no microondas, esquentando no máximo por 10 segundos e mexendo bem. Resolveu mais ou menos, já que o óleo da manteiga separou um pouco do creme. Além do risco da receita ter ovo cru, o que torna a coisa toda mais complicada (comi mesmo assim e até agora não passei mal, mas voltarei para atualizar caso a situação mude). Fui procurar na internet uma solução, mas a única que encontrei foi derreter um pouquinho e bater de novo com uma gema para reestruturar o molho. Não experimentei, mas se você for experimentar, me avise!

Minha história sobre infertilidade

Essa é a minha jornada ao tentar engravidar. Espero que possa ajudar outras pessoas que estão passando por problemas de infertilidade como eu.

Apesar de a maioria das pessoas não terem a menor vergonha de te perguntar quando é que você vai ter filhos, quando você diz que sofre problemas de infertilidade elas sempre ficam sem graça e mudam rapidinho de assunto. Haha. Fertilidade (ou a falta de) é mais um tabu da vida.

Eu entendo completamente casais tenham dificuldade de falar sobre assunto, já que é tão íntimo do casal—assim como a hora de ter filhos. Contudo, como eu não tenho muita vergonha de nada e praticamente desconheço o significado da palavra tabu, resolvi dividir o que eu tenho feito para lidar com a infertilidade. Espero do fundo do coração poder ajudar outras pessoas que estão passando pelo mesmo problema.

Eu nunca fui do tipo de menina que sonhava em se tornar mãe. Enquanto a minha irmã Marina brincava de mamãe e filhinha com as bonecas, minhas Barbies eram sempre independentes, donas de uma cobertura (a cama de cima da beliche) e de seu próprio negócio de moda. Depois de alguns anos de casada, vi o desejo de me tornar mãe crescer dentro de mim de forma orgânica e natural. Acho que, de certa maneira, esse meu senso de liberdade e de querer conquistar outras coisas além da maternidade é o que tem me ajudado. Eu me vejo como uma pessoa feliz e extremamente realizada, de verdade. Pra mim, a maternidade trará um novo tipo de felicidade, mas não é o meu único caminho para a felicidade.

Eu estava bem tranquila no começo e acabei gastando, a cada mês, mais do que devia em testes de gravidez #quemnunca. Depois de alguns meses tentando, comecei a estudar para o GMAT e a me preparar para começar o MBA, então acabei esquecendo um pouco. O primeiro ano de MBA foi tão estressante e cansativo que eu entrei na mentalidade de "vai ser bom se acontecer, mas estou okay também se não rolar de engravidar". Depois que terminei meu estágio e voltei para casa, me dei conta que o tempo que estávamos tentando "naturalmente" era anormalmente longo e resolvi procurar ajudar médica para diagnosticar ao invés de ficar especulando o que tinha de errado com a gente.

Fiquem avisados: Exames para testar fertilidade são extremamente invasivos. Eu não tinha ideia! Não vou detalhar cada exame que fiz, mas basta dizer que muitas vezes saí chorando deles. Depois de um exame particularmente difícil, comprei três cupcakes bem gigantes, fui pra casa, tomei banho, deitei às 5 horas da tarde na cama de pijama e fiquei comendo cupcake enquanto assistia Friends. Foi uma experiência horrível—mas foi necessário passar por tudo isso. Descobrimos que eu tinha um fibrose séria (tumor, não cancerígeno) dentro do útero e endometriose. Em menos de um mês depois da bateria de exames, já estava fazendo uma cirurgia para corrigir tudo.

O meu médico queria que eu já começasse tratamentos para engravidar um mês após a cirurgia, mas eu disse não pelo seguinte motivo: Não importa o quanto eu queira me tornar mãe, eu também preciso ter tempo para processar tudo. Em menos de um mês fiz uma bateria de exames invasivos e duas cirurgias (que aconteceram de uma vez só). Eu não estava em condição mental de processar o início de um tratamento pesado de fertilidade em conjunto com o meu último semestre de mestrado. Era muita coisa de uma vez só. Eu me dei tempo, o que foi muito bom pra mim. Claro que algumas pessoas já querem tentar logo e bom pra elas, mas se você precisa de um tempo para processar, como eu precisei, se dê esse tempo. Ninguém vai morrer por causa de alguns meses.

Até o momento essa narrativa tem sido muito pela minha perspectiva porque sou eu contando a história, mas como todo enredo tem um coadjuvante, o meu coadjuvante é o Rob. Ele é e tem sido maravilhoso. O apoio dele foi e tem sido super necessário durante todo esse processo. Ele também fala a real quando preciso e começo a ficar estressada, o que me ajuda a voltar com os pés no chão. É a medida necessária de conforto e realidade para mim. Esse equilíbrio entre as duas partes é muito necessário durante todo o processo.

Enfim, até o momento não estou grávida. Mas como disse, estou passando por todo o processo com tranquilidade e sabendo que, mesmo se não acontecer, eu já sou uma pessoa muito feliz. Para mim é o que importa.

Além dessa história, aqui vão algumas coisas que tem me ajudado também durante esses últimos anos.

Nunca se compare com ninguém. É só você começar a tentar engravidar que de repente todas as mulheres do planeta engravidam—menos você. Isso é fato e deveria ser comprovado cientificamente. Haha. É muito fácil começar a ficar chateada por conta disso. Mas sério, nunca, nunca, nunca se compare a ninguém. Uma coisa que sempre fiz pra evitar a inveja é lembrar que se eu quero ficar grávida (ou ter o carro, a viagem para a Indonésia...) que nem a fulaninha é porque eu quero ser ela. Mas será que eu quero mesmo? Porque quando você quer ser uma pessoa, você tem que aceitar também os pais dela, os irmãos, o marido ou namorado, os problemas, os altos e baixos. Você quer tudo isso? Toda a bagagem? Então não perca tempo sonhando em ter um pedacinho da vida da fulana se você não quer realmente viver como aquela pessoa.

Relaxar e ficar tranquila nem sempre funciona. Todo mundo acha que tem a cura do problema da infertilidade. Que casal tentando engravidar nunca ouviu um "é só ficar tranquila, relaxar que você engravida"? Só sorria e ignore. Sério. Todo mundo tem uma história unicórnio da fulaninha que não conseguia engravidar e na hora que esqueceu engravidou, mas isso nem sempre acontece. Não está conseguindo engravidar? Vá ao médico. Corte o mal pela raiz.

As pessoas não sabem como te confortar. Pra começo de conversa, ninguém sabe o que fazer com uma pessoa doente e, querendo ou não, infertilidade cai—para muitos—na categoria doença. Só tenha paciência. Muitas vezes as pessoas são bem intencionadas! Agora, se você é uma pessoa que não tem problema de fertilidade mas está no time que sempre diz "ah não se preocupe que vai dar certo, você vai engravidar", apenas pare. Sério. Pare de falar isso agora. Você não sabe se a pessoa vai conseguir engravidar. Apenas pergunte como a pessoa está ao invés de se sentir na obrigação de dizer algo. É simples assim. :)

Pessoas ruins e negativas sempre existirão.
 Eu sei de fato que já falaram que até hoje não consegui engravidar porque é castigo divino, porque não conheço o meu lugar de esposa e fico querendo ser independente. Ai gente, eu tenho preguiça desse pensamento retrógrado e não vou nem perder meu tempo rebatendo. No final, é isso que eu faço mesmo: Não perco meu tempo. Só me afasto. Se você tem gente com essa vibe do mal a sua volta, faça o mesmo: Se afaste e ignore.

Vai ter dia que você vai se sentir down e é normal. Eu não tenho problema nenhum em conversar sobre a minha jornada (como você pode ver pelo textão), mas falar sobre isso incessantemente pode me fazer mal. Ano passado quando fui pro Brasil, te juro que tinha que discutir isso pelo menos uma vez por dia com alguém. Essas discussões eram sempre seguidas da pergunta "quando você vai ter filhos?". Foi demais para mim e fiquei muito chateada mesmo, chorando e achando que tinha algo de errado comigo. Porque né? Eu acho que até que fiz muita coisa interessante nessa vida, mas se é só isso que aparentemente importa e obviamente não estou conseguindo cumprir com a agenda da expectativa, provavelmente tem alguma coisa errada comigo. Na verdade não tem nada de errado. Nessas horas, dê um tempo de quem está sempre na cobrança, compre uma coisa linda pra si mesma, vá fazer as unhas do pé, passeie e esqueça. Cuidar de mim mesma sempre me ajuda a colocar tudo nos eixos.

Espero ter ajudado.

Com amor,

Mônica

Feliz Dia da Mulher! Três mulheres brasileiras que me inspiram


Feliz Dia da Mulher! Hoje é aquele dia que gosto de ligar pra minha mãe e a minha vó e agradecê-las pelo exemplo de mulheres fortes que sempre foram em minha vida. Infelizmente a bibliografia das duas *ainda* não foi publicada pra eu poder indicar a leitura. Mas não tem problema! Aqui vão outras três mulheres brasileiras que, para mim, são exemplos de mulheres fortes e batalhadoras. O diferencial é que você também pode conhecê-las melhor.

Cora Coralina


Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, conhecida como Cora Coralina, nasceu no meio Goiás já no meio do alvoroço, pouco antes do Brasil se tornar uma república. Ela nunca escreveu necessariamente sobre feminismo, mas enquanto que a métrica do parnasianismo reinavam em sua época, Cora escrevia de sua forma única e desmedida, da mesma forma que sempre viveu a vida. Ela é considerada uma das maiores escritoras brasileiras, mas infelizmente não se fala muito dela.

Vendeu linguiça e banha de porco após a morte do marido para ganhar dinheiro e terminou a vida com o título de Doutor Honoris Causa da UFG, tendo o seu primeiro livro publicado aos 76 anos de idade. Ela foi uma mulher porreta.

Para aprender mais: Leia a sua obra Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais.
Mesmo quando tudo
parece desabar,
cabe a mim decidir
entre rir ou chorar,
ir ou ficar,
desistir ou lutar;
porque descobri, no caminho
incerto da vida, que o mais
importante é o decidir."
— Cora Coralina

Elza Soares


Elza Soares praticamente despensa apresentações, né? Ela não tinha como ter nascido mais desfavorecida na vida. Aos 12 anos já estava casada do primeiro marido, aos 21 já estava viúva e com 5 filhos para criar. Começou a cantar aos 13 anos de idade num programa de calouros, para conseguir dinheiro para pagar os remédios do filho recém-nascido. Foi quando, ao ser ironizada pelo apresentador, que perguntou a ela: "De que planeta você veio?", ela respondeu: "Do Planeta Fome".

Nasceu na favela, passou fome, perdeu maridos e filho, sofreu preconceito e batalhou para se tornar essa cantora icônica que é hoje. Se isso não é admirável, não sei o que seria.

Para aprender mais: Seu último álbum, recheado de músicas inéditas, A Mulher do Fim do Mundo.
Eu não tenho raiva de ninguém e nem tenho mágoa de ninguém, mas como eu posso ter mágoa com este poder todo que Deus me deu te cantar."
— Elza Soares

Maria da Penha



Em 1983, Maria da Penha Maia Fernandes estava dormindo quando o seu marido a atirou nas suas costas, deixando-a paraplégica. Duas semanas depois, tentou matá-la eletrocutada. Na sua busca por justiça contra o agressor, se viu perdida no sistema falho de justiça brasileira, conseguindo justiça apenas 19 anos depois de começar a sua luta—mas, no final, conseguiu. Em 2006, foi sancionada a lei Maria da Penha, que busca aumentar o rigor das punições sobre crimes domésticos.

No fim, ela transformou seu sofrimento em luta pelo direito das mulheres e símbolo contra violência doméstica.

Para aprender mais: Esse ótimo artigo na revista TPM e a sua bibliografia, Sobrevivi... Posso Contar.
Seja do jeito que for, mas eu não quero morrer. Pedi a Deus isso e ele me atendeu."
— Maria da Penha
E você? Quais são as mulheres que te inspiram?