Featured Slider

Feliz Dia da Mulher! Três mulheres brasileiras que me inspiram


Feliz Dia da Mulher! Hoje é aquele dia que gosto de ligar pra minha mãe e a minha vó e agradecê-las pelo exemplo de mulheres fortes que sempre foram em minha vida. Infelizmente a bibliografia das duas *ainda* não foi publicada pra eu poder indicar a leitura. Mas não tem problema! Aqui vão outras três mulheres brasileiras que, para mim, são exemplos de mulheres fortes e batalhadoras. O diferencial é que você também pode conhecê-las melhor.

Cora Coralina


Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, conhecida como Cora Coralina, nasceu no meio Goiás já no meio do alvoroço, pouco antes do Brasil se tornar uma república. Ela nunca escreveu necessariamente sobre feminismo, mas enquanto que a métrica do parnasianismo reinavam em sua época, Cora escrevia de sua forma única e desmedida, da mesma forma que sempre viveu a vida. Ela é considerada uma das maiores escritoras brasileiras, mas infelizmente não se fala muito dela.

Vendeu linguiça e banha de porco após a morte do marido para ganhar dinheiro e terminou a vida com o título de Doutor Honoris Causa da UFG, tendo o seu primeiro livro publicado aos 76 anos de idade. Ela foi uma mulher porreta.

Para aprender mais: Leia a sua obra Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais.
Mesmo quando tudo
parece desabar,
cabe a mim decidir
entre rir ou chorar,
ir ou ficar,
desistir ou lutar;
porque descobri, no caminho
incerto da vida, que o mais
importante é o decidir."
— Cora Coralina

Elza Soares


Elza Soares praticamente despensa apresentações, né? Ela não tinha como ter nascido mais desfavorecida na vida. Aos 12 anos já estava casada do primeiro marido, aos 21 já estava viúva e com 5 filhos para criar. Começou a cantar aos 13 anos de idade num programa de calouros, para conseguir dinheiro para pagar os remédios do filho recém-nascido. Foi quando, ao ser ironizada pelo apresentador, que perguntou a ela: "De que planeta você veio?", ela respondeu: "Do Planeta Fome".

Nasceu na favela, passou fome, perdeu maridos e filho, sofreu preconceito e batalhou para se tornar essa cantora icônica que é hoje. Se isso não é admirável, não sei o que seria.

Para aprender mais: Seu último álbum, recheado de músicas inéditas, A Mulher do Fim do Mundo.
Eu não tenho raiva de ninguém e nem tenho mágoa de ninguém, mas como eu posso ter mágoa com este poder todo que Deus me deu te cantar."
— Elza Soares

Maria da Penha



Em 1983, Maria da Penha Maia Fernandes estava dormindo quando o seu marido a atirou nas suas costas, deixando-a paraplégica. Duas semanas depois, tentou matá-la eletrocutada. Na sua busca por justiça contra o agressor, se viu perdida no sistema falho de justiça brasileira, conseguindo justiça apenas 19 anos depois de começar a sua luta—mas, no final, conseguiu. Em 2006, foi sancionada a lei Maria da Penha, que busca aumentar o rigor das punições sobre crimes domésticos.

No fim, ela transformou seu sofrimento em luta pelo direito das mulheres e símbolo contra violência doméstica.

Para aprender mais: Esse ótimo artigo na revista TPM e a sua bibliografia, Sobrevivi... Posso Contar.
Seja do jeito que for, mas eu não quero morrer. Pedi a Deus isso e ele me atendeu."
— Maria da Penha
E você? Quais são as mulheres que te inspiram?

Desculpe 20 e poucos anos, mas prefiro ser trintona

30 e poucos anos é muito melhor do que 20 e poucos anos

Essa semana completo 31 anos, consolidando de vez a minha fase nos 30 e poucos anos. Como você viram aqui, eu tive minha crise dos 30 anos e compartilhei também 30 lições que aprendi antes dos 30 anos. E gente, posso contar uma coisa? Essa fase é muito boa!!!

Lógico que não existe uma mágica entre os 29 e 30 anos, quando de repente você deixa as neuroses para trás e se torna uma pessoa mais certa de si, bem-sucedida e feliz. A questão é que todo fim de ciclo requer comparações e é impossível não comparar os 20 e poucos com os 30 e poucos.

Hoje, aos 30 e poucos, me sinto muito mais segura de mim. Me sinto confortável na minha própria pele, sei que tipo de maquiagem fica bem em mim e que tipo de livros gosto de ler nas horas vagas. Não tenho a menor vergonha de quem sou: Me sinto livre para confessar que ouço Valesca Popozuda pra me animar na academia e que choro toda vez que assisto a este vídeo da menininha descobrindo que vai passar o aniversário na Disney. Não me importo muito com a opinião alheia, talvez até demais.

Tudo isso porque, para mim, os 20 e poucos foram um tempo de consolidação: Quem eu sou, o que quero fazer, aonde quero chegar. Durante essa fase de descobertas para entender onde é que me encaixo neste mundo, aprovação externa era tão importante! Além disso, experienciei muito o que os americanos chamam de "growing pains": A dor do crescimento. Antes de cada descoberta e conquista, houveram frustrações, medos e derrotas. Foi tudo maravilhoso, mas ainda bem que acabou!

Os 30 e poucos ainda trazem frustrações e incertezas, mas fica muito mais fácil de navegar tudo isso com a bagagem dos 20 e poucos anos. Foram tantas tentativas que no final você aprende o que funciona e o que não funciona, como você reage a tudo o que está acontecendo a sua volta e a se aceitar mais. Você aprende que não tem como sempre se encaixar no molde de tudo, e que tudo bem não se encaixar 100%. É isso o que te torna única na vida.

No final, a diferença entre os 20 e poucos e os 30 poucos é apenas uma que apenas o tempo e experiências podem providenciar: Maturidade.

Dicas de decoração de casa com cores quentes e neutras

Depois dessa onda de decoração estilo escandinavo (quem não aguenta mais bota o dedo aqui), com tudo cinza, branco e frio, acho legal começar o ano bem ao contrário disso tudo: Com ideias de decoração pra deixar sua casa mais quentinha, aconchegante, com cara de que tem família morando ali. Sim, ainda dá pra decorar a casa em tons neutros e quentes em pleno 2017!

Por isso, aqui vão algumas dicas pra deixar a sua casa com, como a Carmen Martins disse, cara de gente feliz, sem ficar com uma decoração pesada e escura dentro de casa.

Madeira, madeira, madeira
Móveis de madeira ajudam a deixar a casa mais aconchegante. Combinado com detalhes e móveis brancos, seja um abajur ou uma estante, fica ainda mais lindo e delicado. 

Muito verde
Verde combina super bem com tons terrosos e ainda é a cor do ano, segundo a Pantone. O verde entra em casa através de vasinhos espalhados pela sala, almofadas verdes combinando com o sofá e quadros nas paredes. O verde também ajuda a trazer pontos de cor pra dentro de casa e evitar deixar a decoração muito escura e pesada.

Acabamentos naturais
Tecidos rústicos, caixas de juta, algodão, sisal e cia. Tudo isso ajuda a criar aquele clima de conforto e aconchego em casa. 

Linhas retas e delicadas
Para evitar deixar a decoração com casa de vovó, aposte em móveis com design simples e detalhes delicados. Assim, a casa fica com aquela cara de casinha fresca, onde bate ventinho e é gostoso de viver.

Mais inspirações neste estilo:

Guia turístico de Austin, Texas: O que fazer

Descubra o que fazer em Austin e como se divertir na cidade
Em 2016 eu morei por 3 meses em Austin, no Texas, e posso dizer que voltei completamente apaixonada por esta cidade. Ela passa muito longe do famoso (para os brasileiros) eixo Nova Iorque - Miami - Los Angeles, mas com certeza deveria ser inclusa na sua próxima visita aos Estados Unidos, ou no roteiro das suas próximas férias.

A capital do Texas é conhecida por ser povoada por pessoas estranhas, o suficiente para todo mundo aderir ao tema "keep Austin weird" (Mantenha Austin estranha). Como resultado, a cidade possui vários cantinhos únicos para visitar: são restaurantes, cinemas, festivais de música e lojas com cara de que você não vai encontrar em mais nenhum outro lugar—e provavelmente não vai mesmo.

Além disso, cidade é quente e úmida, por isso não faltam trilhas e vários parques em volta de rios e cachoeiras para se refrescar. Quando me disseram que Austin é uma cidade onde natureza e cidade se misturam, eu achei meio exagerado, mas é completamente verdade!!!

Aqui vão algumas coisas para você fazer e lugares para visitar nessa cidade tão fantástica, com links para te ajudar a visitar cada um destes pontos. Dá pra perceber que já estou com saudade de lá? ❤️ 

Visite o Hope Outdoor Gallery, uma galeria de grafite a céu aberto.
Dicas para passar alguns dias em Austin, com dicas de passeios, trilhas, restaurantes e muito mais.
Passeando pela cidade

  • Hope Outdoor Gallery (foto acima): Uma galeria de grafites a céu aberto. A galeria está sempre em transição, já que artistas sempre estão lá fazendo novas criações. De graça.
  • Texas State Capitol (visto de longe na foto acima): Este é o capitólio do estado do Texas. O parque na frente é lindo, e a parte de dentro tem vários quadros, inclusive do George W. Bush, que foi governador do Texas antes de se tornar presidente dos Estados Unidos. Arquitetura maravilhosa e entrada livre.
  • University of Texas: Campus com arquitetura estilo mexicana que inclui uma vista da cidade de tirar o fôlego. Não deixe de visitar a torre da universidade, com visita que acontece algumas vezes por dia. As ruas em volta da universidade também são lindas e cheias de restaurantes para visitar.
  • Congress Bridge: Uma das experiências mais aleatórias e fantásticas da minha vida. Embaixo da Congress bridge existe a maior colônia de morcegos da America do Norte. Os morcegos voam todo dia, ao por do sol, para caçar. Assistir a milhares de morcegos saindo de uma ponte, enquanto que sentada num parque, é uma experiência completamente incrível (e não é nojento como soa). O pico é durante os meses de julho e agosto.


Dicas do que fazer em Austin, Texas
Visite o Lady Bird Lake para fazer stand up paddle. A vista é linda.
Entrando em contato com a natureza

  • Hamilton Pool Preserve (foto acima): Este é um dos lugares mais maravilhosos que eu já visitei na minha vida. É uma reserva natural com uma piscina natural de água límpida, com uma caverna colorida, cheia de natureza em volta. Marque sua visita com antecedência porque o número de visitantes é SUPER controlado e lota rápido. Sério, não deixe de visitar!
  • Lady Bird Lake (foto acima): Um lago artificial que passa bem no meio da cidade. Excelente para passear de canoa ou stand up paddle. Se não quiser entrar na água, vale também escolher uma das trilhas em volta do lago para caminhar. Durante o verão, na lua cheia você pode passear ao por do sol de caiaque ou paddle enquanto uma banda toca ao vivo serenadas latinas. Fui duas vezes e é tão romântico quanto soa.
  • Barton Springs Pool: Uma piscina feita completamente de água natural. A água é super gelada, mas no calor do Texas está valendo. Eles não aceitam pagamento em cartão, precisa ser dinheiro mesmo, mas é baratinho.


Patrizi's deve entrar na sua lista de restaurantes para visitar em Texas. A massa é fresca e o molho delicioso.
Comendo muito bem
Enquanto estava lá, visitei mais de 50 restaurantes, bares e food trucks. Por isso, acredite, eu sei o que estou falando!

  • Russells Bistro: Ambiente aconchegante e brunch mais do que delicioso. Recomendo o ovos benedict.
  • Easy Tiger: Mistura de bar e pastry shop. Recomendo principalmente pelo ambiente e o pátio externo que eles tem na parte de trás do bar.
  • Franklin Barbecue: Foi eleito o melhor barbecue dos Estados Unidos e com motivo. A carne é macia, quase desmancha na boca. Recomendo o brisket e pulled pork. Mas atenção: Tem que chegar cedo na fila pra conseguir almoçar lá, então prepare-se para esperar por cerca de 4 horas na fila. Se não quiser esperar em fila mas ainda quiser comer um bom barbecue texano, recomendo o Ruby's BBQ. Nota: Barbecue tradicional é bem diferente do churrasco brasileiro, já que aqui a carne é geralmente defumada.
  • Torchy's Tacos: Começou como um food truck. Hoje, são vários restaurantes e food trucks espalhados pela cidade. É super famoso e já foi visitado até mesmo pelo presidente Obama! Não deixe de pedir o famoso queso com chips. Meus tacos favoritos são The Democrat e Mr. Pink.
  • Patrizi's (foto acima): Food truck de comida italiana. A massa é fresca, o molho é feito lá, e tudo tem gosto de casa da nonna. As almôndegas são de dar água na boca e o pão com alho é feito com alho fresquinho num molho cheio de azeite. Ah, se eu pudesse voltar lá pra comer mais um prato de macarronada...


Austin possui vários festivais de música alternativos, inclusive o Blues on the Green.
Só tenho selfies no Blues on the Green... Oops!
Ouvindo música boa

  • Blues on the Green (foto acima): Música boa (geralmente bem hipster também) num parque enorme, completamente de graça. Traga uma toalha pra jogar no chão. Tem também muitas barraquinhas com comidinhas boas (mas tem que pagar pela comida, lógico). Acontece só durante o verão, durante algumas quartas do mês.
  • South by Southwest (SXSW): É uma conferência com festival. A conferência tem palestras sobre marketing, design, governo... Uma boa mistura. O festival envolve música, filmes e exibições interativas. Tudo muito legal, tudo muito alternativo. Acontece uma vez por ano em março.


Já visitou Austin? Faltou alguma dica?